Brinda Brasil 2013

home_p2

Galeria de Fotos

PROJETO BRINDA BRASIL 2013-2015
O CENTENÁRIO DO ESPUMANTE BRASILEIRO

APRESENTAÇÃO

O ano de 2013 dá início às comemorações do CENTENÁRIO DO ESPUMANTE no Brasil. A produção do primeiro espumante brasileiro, à época chamado de “champagne”, começou em 1913, pelas mãos do enólogo Manoel Peterlongo, em Garibaldi (RS). Dois anos mais tarde, quando o produto ficou pronto, foi engarrafado e vendido pela primeira vez no País. A vinícola Peterlongo foi a pioneira na produção da bebida em escala comercial.

Somente seis décadas mais tarde, em 1973, um grande produtor francês descobriu o Brasil. Na ocasião, a Casa Möet Chandon inaugurou sua produção no País, no mesmo ano em que abria sua filial na Califórnia (EUA) e 13 anos antes de se instalar na Austrália (1986). Neste mesmo ano, outras multinacionais do vinho se instalaram na Serra Gaúcha.

Mas foi a partir de 2004 que o Brasil despertou definitivamente para a produção de espumantes, quando vinícolas que produziam apenas vinhos tranquilos  passaram a se dedicar com mais afinco ao espumante. De lá para cá, pulamos de uma produção anual de 6 milhões de litros para 15 milhões de litros de espumantes (em todas as suas variações) produzidos anualmente no Brasil. Um salto de 250%. Além disso, o mercado de consumo interno foi revertido de forma inédita no mundo. Até 2004, o País consumia 20% de espumantes brasileiros e 80% de importados. Hoje, a equação se inverteu, ou seja, 80% das vendas são de produtos nacionais contra 20% dos estrangeiros.

CONDIÇÕES FAVORÁVEIS 

No cenário internacional, o Brasil é considerado um dos melhores produtores de espumantes do mundo. Esse conceito, já testado e avaliado nas diversas competições internacionais sobre a bebida, se obteve, entre outras razões, pela terra e pelo clima da região onde são plantadas e cultivadas as uvas que produzem essa bebida por aqui. A Serra Gaúcha, no Estado do Rio Grande do Sul, possui uma condição diferenciada de solo e clima excepcionalmente favoráveis à produção de espumantes. De acordo com os maiores especialistas internacionais, nosso terroir só é comparável às regiões de Champagne, na França, e Franciacorta, na Itália. E, para engrossar essa fileira brasileira, surgem grandes produções de espumantes também nas terras de altitude de Santa Catarina e no Vale do Rio São Francisco, na divisa entre os estados da Bahia e Pernambuco.

Nos últimos dez anos, metade dos 2 mil prêmios conquistados pelos vinhos brasileiros em concursos internacionais pertence aos espumantes. Hoje, o Brasil está entre os 15 maiores produtores de espumantes do mundo. É o sétimo, em quantidade de litros, fora da Europa. Somente em 2011, chegamos a 15 milhões de litros produzidos, sendo 10% desse volume vendidos a outros países. Apesar disso, o consumo de espumantes ainda é muito baixo no Brasil. Cada brasileiro consome, em média, uma taça de 100ml por ano, geralmente no Ano Novo. Na França, a média per capita é de três garrafas por habitante.

Se temos uma farta e premiada produção, baixo consumo per capita e qualidade muitas vezes superior aos tradicionais produtores franceses, espanhóis e italianos – comparando-se na faixa de 25 dólares –, por que não divulgá-la e apresentá-la corretamente ao País? E mais, por que não fixar um calendário turístico nacional, a partir de Brasília, para promover o espumante brasileiro?

OBJETIVO

O objetivo do Brinda Brasil – Salão do Espumante e Gastronomia de Brasília é exatamente esse: apresentar de forma adequada, por degustação e com a aproximação entre público e produtor, aquela que é a grande e verdadeira vocação vitivinícola brasileira: o espumante. Mas também queremos movimentar o trade do turismo de eventos e festas, hotelaria, gastronomia, receptivos etc., gerar emprego e renda, elevar a arrecadação do Estado e tornar Brasília uma referência de consumo destes segmentos, tanto nas rotas nacionais quanto nas internacionais.

Afinal, espumante é a bebida das celebrações, das festas, das grandes decisões e Brasília é a cidade que melhor traduz esse brinde.

CONCEITO

Promover, apresentar, divulgar e ampliar o mercado de espumantes, a partir de uma radiografia do mercado de consumo, gerando emprego e renda por um segmento com destaque internacional, conquistado pela qualidade e excelência de seu produto, é o conceito do Brinda Brasil – Salão do Espumante e Gastronomia de Brasília.

O foco deste evento é agregar valores acadêmicos e comerciais a essa excelente produção brasileira, buscando firmar o espumante como bebida oficial da Capital da República, fazendo com que a população civil, os segmentos organizados e os governos local e federal entendam o espumante como a bebida das festas e das celebrações (dos casamentos aos acordos de negócios). O evento também visa contribuir para a formação, evolução, qualificação e requalificação de estudantes de enologia, gastronomia, turismo e hotelaria, bem como dos profissionais que atuam nestas áreas no Distrito Federal.

REQUALIFICAÇÃO

Entre as atividades demandadas pelo Brinda Brasil – Salão do Espumante e Gastronomia de Brasília está a requalificação profissional. Na primeira edição do evento, o enólogo Adolfo Lona, um dos responsáveis pelo crescimento deste segmento no Brasil, falou para estudantes de gastronomia, profissionais de bares e restaurantes e donos de estabelecimentos. A palestra do enólogo argentino radicado há quatro décadas no Brasil reavivou conhecimentos e apresentou números recentes da produção brasileira de espumantes.

Em 2012, o Brinda Brasil ofereceu um curso de cinco dias a garçons, maitres e sommeliers indicados pelo Sindhobar, Brasília Shopping e Sebrae-DF, além de professores do Curso de Gastronomia do Senac-DF. As aulas foram ministradas pelo sommelier Paulo Kunzler, único profissional desta área a integrar a Associação Brasileira de Enologia (ABE). Além do ViniCurso, com certificação, três enólogos proferiram palestras aos 30 alunos: Ademir Brandelli (Dom Laurindo), Adolfo Lona (Vinhos Adolfo Lona) e André Júnior (Vinícola Aurora).

DF É UM DOS MELHORES MERCADOS DO BRASIL

O Distrito Federal é o sétimo mercado do vinho no País. Quando estratificado o ranking nacional de consumo dessa bebida, Brasília assume a terceira colocação na compra de vinhos importados e a segunda, em espumantes. O mais recente estudo do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin) aponta a capital federal como um território fértil para o crescimento dessa bebida, despertando o interesse do público e dos estabelecimentos ligados ao vinho.

Os dados mais recentes revelam que o brasiliense está ávido por degustar vinhos e espumantes. Segundo a pesquisa do Ibravin, no Distrito Federal, o consumo médio anual de vinhos per capita é de 1,64 litro. Isso significa que, no ano passado, os brasilienses consumiram cerca de 4,3 milhões de litros de vinhos e espumantes ou 5,7 milhões de garrafas. De acordo com os especialistas do mercado, um dos fatores desta elevada aceitação é a alta renda e o elevado grau de instrução de boa parte da população local.

Hoje existem 30 marcas, entre lojas e importadoras, estabelecidas no Distrito Federal. O presidente da Associação Brasileira de Sommeliers de Brasília (ABS), a mais importante agremiação de apreciadores de vinhos nos âmbitos local e nacional, professor Antônio Duarte, afirma que o mercado do DF comporta bem esse crescimento: “O público consumidor é exigente e tem conhecimento razoável do produto”.

300 MIL CONSUMIDORES NO DF EM 2013

A Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomércio-SP) prevê que, em 2013, 30 milhões de pessoas no Brasil terão condições financeiras de comprar pelo menos uma garrafa de vinho ou espumante por semana. O valor estimado é de R$ 25 para cada rótulo. Atingida a meta estabelecida pelo mercado, os vinhos e espumantes deverão movimentar mais de R$ 39 bilhões em 2013.

Dados divulgados este ano pela consultoria Nielsen, em pesquisa encomendada pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), indicam que o vinho foi o destaque de vendas do setor em 2011. O aumento no volume de negócios foi de 34,9% em relação a 2010. No Distrito Federal, somente a venda de espumantes brasileiros cresceu 25%, no mesmo período.

Os números estimados pelo mercado local, para o consumo de vinhos e espumantes no DF, em 2013, também são otimistas. Pelo corte da média de consumo – cerca de 10% da população do Distrito Federal ou 300 mil pessoas –, as lojas especializadas, supermercados, bares e restaurantes apontam para negócios em torno de R$ 350 milhões.

PERFIL DO APRECIADOR BRASILIENSE

Duas pesquisas recentes, uma realizada pela ABS-Brasília e outra com a participação de mais de 2.500 pessoas, no Brinda Brasil 2012, revelam um retrato do consumidor de vinhos e espumantes no Distrito Federal:

O Apreciador

• 70% são homens;
• R$ 6,5 mil é a renda média deste consumidor;
• 40 anos é a faixa etária;
• R$ 25 a R$ 50 é o preço que se costuma pagar por uma garrafa de vinho no DF.

Por região

• Asa Sul – 15,74%
• Sudoeste/Octogonal – 15,74%
• Asa Norte – 15,74%
• Lagos Sul/Norte – 14,81%
• Águas Claras – 10,19%
• Guará – 7,41%
• Taguatinga – 3,7%

• Outras cidades – 16,67%

O EVENTO

Brinda Brasil – 3º Salão do Espumante e Gastronomia de Brasília

Data

19 e 20 de setembro de 2013

Local

Pontão do Lago Sul – Lago Sul – Brasília/DF

Formato

Salão com degustação, exposição e vendas para atacado e varejo, negócios, palestras, lançamento de livro, sorteios, workshop, degustação dirigida, requalificação profissional e gastronomia.

EXPOSITORES

• Vinícolas e ou distribuidores;
• Patrocinadores e apoiadores;
• Associações de sommeliers e amigos do vinho;
• Agências de viagens;
• Montadoras e concessionárias de veículos;
• Construtoras e imobiliárias;
• Móveis e decoração;
• Fornecedores de água;
• Fornecedores de alimentos, bares, buffets e restaurantes;
• Lojas especializadas em enogastronomia;
• Chocolateria;
• Resorts, pousadas;
• Escolas de gastronomia.

Realização

sucesso

sind_hb

Planta do Evento 2013

planta_2013

Comments are closed.