Brinda Brasil 2011

Brinda Brasil 2011

Repercussão na TV

Galeria de Fotos

Informação

» Brinda Brasil 2012 prospecta 20 vinícolas

Vinícolas venderam 600 garrafas de espumantes em 10 horas. Evento repercutiu até na França e o público prometeu voltar

Márcia Binder
Da Sucesso Comunicação

Mais de 600 pessoas passaram pelo Espaço Cultural do Complexo Brasil 21, em 29 de novembro de 2011, para participar do Brinda Brasil – 1º Salão do Espumante de Brasília, primeiro evento do gênero na capital federal. O número de visitantes surpreendeu até mesmo a organização, já animada para a segunda edição. “Em 2012, tem mais Brinda Brasil, com certeza”, garantiu um dos idealizadores do evento, o jornalista e enófilo Rodrigo Leitão. A meta para 2012 é dobrar a participação de produtores, chegando a 20 vinícolas no Brinda Brasil. O evento está previsto para o mês de outubro.

Foram dez horas ininterruptas de degustação e compras, na primeira edição. Em exposição, cerca de 60 rótulos de espumantes brasileiros, além de delícias do Mercado Municipal, doces artesanais da Associação das Doceiras do DF, o renomado café de Antonello Monardo e as melhores águas minerais do País, entre elas a Cambuquira, selecionada pela NASA como uma das dez melhores águas do mundo.

As dez vinícolas participantes venderam, no local, uma média de dez caixas de espumantes cada uma, o que corresponde a cerca de 60 garrafas, isso sem contar com as compras feitas nos dias posteriores ao evento, nas lojasdas vinícolas instaladas na capital federal. Apenas a Adolfo Lona vendeu, no local, 22 caixas ou 132 garrafas.

“O Brinda Brasil foi uma grande ideia. É um evento muito importante para Brasília, cidade com um dos melhores mercados de espumantes do Brasil”, declarou o enólogo e empresário Adolfo Lona, convidado especial e um dos palestrantes do evento.

Além da vinícola Adolfo Lona, marcaram presença no Brinda Brasil mais nove produtoras de espumantes nacionais: Casa Perini, Casa Valduga, Dal Pizzol, Domno, Gran Legado, Monte Paschoal, Miolo, Pericó e Santa Augusta, todas com sede no sul do País.

O enólogo Adriano Miolo, produtor dos espumantes Millésime, Brut Miolo, Terra Nova e outros, elogiou o evento e destacou “a excelente organização”. Ele também garantiu sua presença em 2012. “Gostei muito e já estou aqui no ano que vem”, disse.

Cada visitante recebeu, na entrada, uma taça de cristal Bohemia para as degustações e pôde levar a sua taça para casa. “Foi a primeira vez que um evento de degustação em Brasília ofereceu taças de cristal aos participantes”, destacou o sommelier Paulo Kunzler, curador do evento. A Casa Rio Grande do Sul, patrocinadora da primeira edição do Brinda Brasil, forneceu os requintados recipientes.

Durante o Brinda Brasil, houve também, num salão à parte, rodada de negócios com a mediação do Sebrae-DF e a participação de 90 empresas, entre fornecedoras e compradoras de produtos e serviços para eventos. O giro comercial registrado chegou a R$ 100 mil, de acordo com representantes do Sebrae.

Espumantes nacionais

O Brasil é considerado o terceiro melhor produtor de espumantes do mundo. Em 2010, os espumantes foram responsáveis por 137 medalhas das 221 conquistadas pelos vinhos brasileiros em vários concursos internacionais.

O solo e o clima excepcionalmente favoráveis do Vale dos Vinhedos e das cidades de Garibaldi e Bento Gonçalves, no Rio Grande do Sul, só comparáveis às regiões de Champagne, na França, e Franciacorta, na Itália, elevaram os espumantes brasileiros ao nível dos franceses e italianos.

De acordo com dados do Instituto Brasileiro do Vinho (Ibravin), o consumo de espumantes no Brasil dobrou na última década. Em 2004, os brasileiros consumiram 5,48 milhões de litros da bebida e, em 2009, o número pulou para 11,2 milhões de litros, chegando a 13,4 milhões em 2011.

As vendas de espumantes brasileiros cresceram, em 2011, cerca de 30%, de acordo com números divulgados pelo setor. “Espumante harmoniza com tudo, até com churrasco”, ensina o sommelier Paulo Kunzler , convicto de que o mercado brasileiro tem espaço aberto para a bebida.

Comments are closed.